sexta-feira, 11 de novembro de 2011

OUTRORA




Nem a mais bela foto
Ou a mais bela face.
O tempo não tem volta.

Só uma certeza:
O que mudou por dentro;
por fora se mostra.

O tempo espaço agora se chama menino
Era a linda menina
É a mãe linda mulher.
Palavra-chave: compartilho.

Divido a vida:
Somo e multiplico.
E o tempo não se conta

O tempo é.

O gosto do café.
O chocolate a derreter na boca
Tirar a roupa.

Fim de semana, livro, vinho.
Um minuto sozinha, sushi,sashimi e sono
Caminhos... já passou... tenho um filho!

Palavra-chave: compartilho...

15 comentários:

Bruna Assagra disse...

lindo, simples e prático... agora não se tem mais tempo nem disposição para floreios, na escrita e na vida... beijo!

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Juliana, gostei da fotografia e do texto...Espectacular....
Cumprimentos

Letícia Mercier disse...

Oi :) Queria deixar aqui o meu blog para visitas :D http://banheiro-de-balada.blogspot.com/ Espero que gostem! Sigam e comentem *-*

Letícia Mercier disse...

Oi :) Queria deixar aqui o meu blog para visitas :D http://banheiro-de-balada.blogspot.com/ Espero que gostem! Sigam e comentem *-*

Nathy Costa disse...

amei seu blog visite meu

http://paraneura.blogspot.com/

bjo!

Flavio Ferrari disse...

Tudo muda, tudo se ajusta e fica ainda melhor. Simplesmente porque não poderá ser de outra forma. Bom te-la de volta la no Arguta. Bjs

Anônimo disse...

SEU BLOG É UMA MERDA..

Francisco Coimbra disse...

FLOREI(O)

belo tirar da roupa...
e ficar em palavras
onde seus versos

despem a realidade
mostrando poesia

sem floreios, flores!
Assim

(A)FLORAR

não precisas dizer
mais do que isto
- dás a sentir

a realidade
simples -

simplesmente assim!
Mim

Oscar Cantini disse...

Lindíssimo poema! Aplausos de pé!

Anônimo disse...

Oi Ju, tudo bem? Cheguei ao seu blog porque gosto de ver o que outras pessoas escrevem! Achei bem legal! Quando quiser visite o meu!

Há uma categoria lá com um tanto de histórias de criança! Chama-se Infância.

Um abraço,

Eduardo

www.maneirasimples.wordpress.com

Eliane F.C.Lima disse...

Ter bebê pequeno e conseguir fazer poemas é para poucas. Mas é um mistério a motivação da poesia. De onde vem. Um novo amor pode ser o deflagrador: pequenino seu objeto, mas grande o amor.
Eliane F.C.Lima (Blogue "Poema Vivo")

faizy disse...

great blog

Tudo ou nada ... disse...

Ai que fofo ..
bjos

silvioafonso disse...

.


Foi na procura da beleza
simples que eu te vi e do
teu blog me tornei escravo.

silvioafonso






.

Nilson Barcelli disse...

Magnífico poema.
Querida Ju, adorei as tuas palavras neste poema.
Tem uma boa Páscoa.
Beijos.

PS: como não publicaste mais nada, tive que recuar no tempo...