domingo, 14 de maio de 2017

Maternidade

A janela aberta da casa
Ou o vento que me abraça
Me lembram a todo momento;
Não há erro,
Sempre recomeço.

A vida é mais profunda
Que uma fase, uma etapa, uma curva.
Vou com calma
Escutando as verdades da alma...

E esse tempo
Em que me reinvento
Me ensina a criar laços
Para costurar meus pedaços.

Porque sou feita de suor, sangue e choro
Mas também de muito sonho...
Que resgato em cada corrida
 (Minha limpeza da mente)
Ou em cada poesia
(que me faz seguir em frente...)
Mais menos um dia.


sexta-feira, 17 de março de 2017

Destino

O que sinto
Levo comigo
Até desaparecer

Carrego na mala
Nessa jornada
Pela estrada
Que procuro correr

Sem caminho,
Só caminho
Vezes só 
Vezes assobio 

E quando menos espero
Uma curva, 
Um esconderijo
Ou um abismo.

Sem atalhos.

Mas as vezes
Um presente;
Uma passagem
Secreta,
Direta,
Ao que se sente.

E encontro  a felicidade.

Por enquanto
E para sempre
Só caminho (s).

terça-feira, 14 de março de 2017

ABISMO


Em que lugar guardei meu coração?
Quando deixei de lado a emoção
E dei soberania à razão
Porque sentir demais me fez sofrer...

Acho que foi
Quando cortei meus cabelos
Arranquei aqueles anseios
De te quero mais...

Porque perdi o bonde do tempo
Vivendo um sentimento
De quem espera no cais.

Os beijos que não te dei
Os momentos que com você não passei
A vida que não existiu jamais.

Quando eu reencontrar meu coração
Roto, rasgado, despedaçado
Prometo colocá-lo no devido lugar

Mas por enquanto sigo só
Com minha razão
Silenciando esse desejo de amar.